Vereador Ramon Santos fala sobre o Plano de Habitação de Jacobina

Membro do Conselho gestor do Fundo Municipal de Habitação Social (FMHS), o vereador Ramon Santos, que reside em um dos conjuntos habitacionais da periferia da cidade, enaltece a importância do plano para as famílias carentes.

No mês de maio, ao percorrer toda a cidade e participado várias reuniões em diversos bairros de Jacobina, como o Ladeira Vermelha, Mutirão, Catuaba, o edil destaca os contatos realizados diuturnamente com pessoas que moram de aluguel em nossa cidade para discutir sobre o assunto. Para Ramon é preciso ouvir da população o modelo de moradias que elas gostariam que fossem construídas, e que a maioria das pessoas que temos conversado disse escolher o modelo de casas habitacionais com as mesmas características do Conjunto Novo Amanhecer, pois são possíveis adaptações como ampliações e construções de novos cômodos, o que é impossível nos apartamentos, o que considera não adequando para as condições sociais, culturais e econômicas da população.

O vereador diz estar vigilante, e que no momento oportuno, no período pós crise econômica, buscar recursos junto ao Governo Federal para a ampliação do programa Minha Casa minha Vida em nossa cidade, com construções de mais casas populares e loteamentos para famílias de baixa renda.

Segundo Ramon, é inegável o reconhecimento do empenho da Secretaria de Ação Social para que o município construísse se Plano de Habitação, sendo um dos poucos no interior da Bahia. O vereador disse ainda que é preciso atentar para o local escolhido onde venha a ser construídos os próximos conjuntos habitacionais. Ele sugere que existem excelentes áreas ainda nas imediações do Jacobina 4, a exemplo da que fica entre as comunidades do Pontilhão e Malhadinha de Dentro e uma outra mais próxima que fica nas imediações do imóvel de Heitor Brasileiro, localizada na Avenida Luís Alberto Dourado de Carvalho.

Com um trabalho destacado na defesa e na fiscalização do Programa Minha Casa Minha Vida, Ramon Santos trem trabalhado junto à comunidade, procurando quando necessário o Ministério Público Federal no sentido de dirimir dúvidas sobre o programa e exigindo que as moradias cheguem para quem realmente precisa.

“Não iremos permitir que as moradias sejam construídas em locais isolados, longe dos equipamentos públicos, da estrutura urbana”, salientou, completando que na sua atuação parlamentar participou de várias discussões e tendo atuado em prol das questões de urbanização e moradias da cidade, sendo o único, inclusive, a estar presente em todas as reuniões, debatendo, ouvindo e fazendo críticas construtivas quando necessário. “O déficit habitacional de Jacobina ainda é altíssimo. Precisamos continuar unindo forças, prefeitura, governo federal e sociedade civil, para vencermos essa grave realidade que atinge milhares de jacobinense”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *