Home / Notícias / ACAL discute qualidade da água e segurança do trabalho em assembleia

ACAL discute qualidade da água e segurança do trabalho em assembleia

Durante assembleia realizada no ultimo dia (17/11), no auditório da Associação Comunitária e Assistencial de Lages, no distrito de Lages do Batata, no município de Jacobina foram abordados diversos assuntos dentre eles a atual situação da qualidade da água e segurança para os trabalhadores envolvidos no processo de tratamento e distribuição do precioso liquido. 

A presidente da ACAL, Patrícia Soares da Silva, compartilhou com os demais membros que compõem a instituição, os investimentos que vem sendo feito para oferecer a população da comunidade uma água cada vez melhor e dentro dos padrões de potabilidade exigidos pelos órgãos reguladores. 
 
Esteve presente o Técnico em Química, Leone Carvalho, especialista Análises Químicas e Biológicas, que tem prestado serviços a associação na implantação do sistema de cloração da água e ajustes ao que estabelece a portaria 2914/2011, do Ministério da Saúde, em especial seu Art. 3°. 
 
 “Toda água destinada ao consumo humano, distribuída coletivamente por meio de sistema ou solução alternativa coletiva de abastecimento de água, deve ser objeto de controle e vigilância da qualidade da água”.
 
Para tanto, a associação não medido esforços para se adequar as exigências legais, acordados com o Ministério Público Estadual e com o próprio município, tendo em vista que a ACAL tem atualmente a concessão do sistema de abastecimento de água  da comunidade por um período de 05 (cinco) anos, prazo este que poderá ser renovado ao seu final.
 
Em assembleia também foi discutido o planejamento das ações que visam informar a população consumidora sobre qualidade da água, expansão do sistema, investimentos e melhorias nos serviços.
 
Outro tema abordado durante a reunião foi a segurança dos trabalhadores envolvidos no processo de tratamento e abastecimento na comunidade. Esta abordagem foi feita pelo Técnico em Segurança do Trabalho, Antônio Carlos Alves.
 
Para o profissional, a segurança dos trabalhadores é primordial para a qualidade e eficácia dos serviços prestados a população. Com a implantação do sistema de cloração, os trabalhadores passaram a ter contato com produtos químicos e por este motivo, a direção da ACAL foi orientada a adquirir alguns Equipamentos de Proteção Individual – EPI’s (óculos, protetor facial com filtros contra gases e vapores, capacetes, etc.), além dos que ja eram utilizados pelos colaboradores.
 
 
Também serão implementados nos próximos dias, programas, treinamentos e capacitação, que possibilitarão melhor qualidade de vida destes funcionários, conforme previsto nas Normas Regulamentadoras do MTE, em especial a NR-9 que fala sobre a obrigatoriedade da elaboração e implementação, por parte de todos os empregadores e instituições que admitam trabalhadores como empregados, do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA, visando à preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, através da antecipação, reconhecimento, avaliação e consequente controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho, tendo em consideração a proteção do meio ambiente e dos recursos naturais.Da redação. 

Sobre admin

Veja também.

Acidente envolvendo veículo de Jacobina deixa duas pessoas mortas na BR 324

Na tarde deste domingo (13.10), por volta das 15 horas, dois veículos colidiram próximo ao …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: