Desapropriação do Hospital Antônio Teixeira Sobrinho poderá ser alvo de CPI na Câmara Municipal

Ex-funcionários da Fundação Hospital Antonio Teixeira Sobrinho ainda não receberam seus direitos trabalhistas 

Dezenas de ex-funcionários da Fundação Antonio Teixeira Sobrinho aguardam receber seus benefícios trabalhistas

Nos próximos dias, a Câmara de Vereadores de Jacobina irá deliberar sobre a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar a desapropriação do Hospital Antônio Teixeira Sobrinho,  ocorrido no primeiro governo do prefeito Rui Macedo. O objetivo é saber porque, quase dez anos depois, os funcionários da Fundação Antônio Teixeira Sobrinho, que administrava o hospital, ainda não receberam os direitos trabalhistas.

Nesta terça-feira (12.09), uma comissão de ex-funcionários da Fundação Antônio Teixeira Sobrinho procurou a imprensa para denunciar a via crúcis que tem enfrentado junta ao Executivo Municipal (devedor)  e à Justiça do Trabalho, sem nenhuma solução prática em relação aos pagamentos das ações com existência de sentença trabalhista transitada em julgado.

Uma comissão de ex-funcionários do HATS se reuniu com os vereadores Noelson Oliveira e Martins dos Santos

Um grupo de ex-funcionários também esteve na Câmara Municipal de Vereadores, onde se reuniram com o presidente Noelson Oliveira (DEM) e o vereador Martins dos Santos (PT), que decidiram levar o assunto para debate na próxima sessão, inclusive com a presença desses trabalhadores que estão enfrentado muitos dramas pessoais, sendo que alguns deles, além de amargar o desemprego e a falta de pagamento dos seus direitos trabalhistas, estão acometidos de enfermidade, como depressão, por exemplo.

Com a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) será possível abrir a caixa preta da desapropriação do Hospital Antônio Teixeira Sobrinho, que sempre foi visto com desconfiança pela sociedade jacobinense.

Chegou a hora de desnudar o rei e saber efetivamente o que realmente aconteceu.

Certidão da Justiça do Trabalho comprava crédito de quase três milhões e meio de reais da Fundação Hospital Antonio Teixeira Sobrinho junto à Prefeitura Municipal de Jacobina 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *