ColunistasJacobina

Os enigmas por trás do beijo de Jerônimo em Mariana

Por João Batista Ferrreira – A política, muitas vezes comparada a um intricado tabuleiro de xadrez, é repleta de sutilezas e gestos que transcendem as palavras, evocando uma linguagem própria que somente os atores desse palco multifacetado compreendem. E, nesta sexta-feira (18/08), no pitoresco município de Antonio Gonçalves, uma cena capturou a atenção dos observadores políticos e trouxe à tona uma série de possíveis significados: o beijo afetuoso do governador Jerônimo Rodrigues na pré-candidata a prefeitura de Jacobina, Mariana Oliveira, presidente municipal do PT.

Hoje, Jerônimo Rodrigues marcou seu centésimo município baiano visitado em 2023, uma proeza que não apenas reforça sua dedicação à governança, mas também joga luz sobre suas movimentações estratégicas. Em um evento repleto de líderes políticos, incluindo deputados e secretários estaduais, o governador protagonizou um gesto que instantaneamente roubou os holofotes: um beijo caloroso e afetuoso na bochecha de Mariana Oliveira.

Enquanto as câmeras capturavam o momento, os murmúrios e as especulações se espalharam como fogo em um campo seco. O que significaria esse beijo? A pergunta, sem dúvida, atiçou a curiosidade daqueles que presenciaram a cena. “Esse beijo é a senha”, sussurrou, com olhar astuto, uma das lideranças do PT em Jacobina, lançando um enigma no ar.

Nos corredores da política, um gesto tão efusivo não é apenas um mero beijo; é uma mensagem codificada, um prelúdio de alianças e um presságio do que está por vir. Sob as sombras das interpretações, surge a possibilidade intrigante de que Jerônimo Rodrigues esteja, de fato, lançando seu apoio silencioso à pré-candidatura de Mariana Oliveira à prefeitura de Jacobina.

Em uma dança complexa de conjecturas, Hamlet, o personagem eternamente questionador de William Shakespeare, ecoa em nossos pensamentos: “Ser ou não ser, eis a questão.” O beijo, embora possa parecer um gesto trivial, desencadeia uma série de indagações profundas: será que esse beijo é a semente de um compromisso político? Uma expressão sincera de apoio? Ou apenas um movimento calculado no tabuleiro da política?

A resposta permanece elusiva, mas uma coisa é certa: o beijo de Jerônimo em Mariana Oliveira transcende o efêmero e se transforma em um símbolo que ecoará nos corredores do poder e na mente dos cidadãos e cidadãs jacobinenses, alimentando a inquietação que é inerente à política – o jogo de estratégias, alianças e desafios que molda a sucessão municipal.


João Batista Ferreira – é radialista/jornalista, bacharelado em Serviço Social.

6 thoughts on “Os enigmas por trás do beijo de Jerônimo em Mariana

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *