Radialista insiste na tese que Lampião não morreu na Grota de Angicos

(Por João Batista Ferreira ) – Mesmo após mais de oito décadas passadas,  a sanga do pernambucano Virgulino Ferreira da Silva, vulgo Lampião, continua sendo tema debates e polêmicas entre pesquisadores, estudiosos, curiosos, e  amantes da literatura do cangaço.

Nesta foto, Lampião aparece costurando um faixa de couro, que fazia parte da vestimenta dos cangaceiros. Crédito: Benjamin Abraão 

A maioria dos pesquisadores tem plena convicção que o fim de linha para Lampião se deu mesmo no combate da Grota do Angicos, no dia 28 de julho de 1938, no estado de Sergipe, quando uma volante liderada pelo tenente João Bezerra da Silva, contando com a ajudar de coiteiros,  surpreendeu mais de 30 cangaceiros estavam escondidos.

Em 2019, o repórter Nilton Moreira entrevistou o radialista radialista Cid Charles Fernandes de Melo, proprietário da Rádio Bahiana FM do município de Bom Jesus da Lapa, interior na Bahia (veja a matéria AQUI), que duvida da versão histórica sobre a morte do “Rei do Cangaço”  no Grota do Angicos. 

A  entrevista de Cid Charles gerou muita polêmica na internet, e o vídeo postado no youtube se tornou um dos mais acessados entre os temas relacionados ao cangaço, chegando a quase meio milhão de visualizações. 

No último final de semana, em vista a Bom Jesus de Lapa, o repórter Nilton Moreira se reencontrou com Cid Charles, que se mantém firme na defesa da tese de que Lampião não morreu em Angicos, mas que teria sobrevivido ao combate e  fugido para Minas Gerais, onde viveu até quase cem anos.  

Veja o vídeo desse bate-papo: 

Obs: na fota de capa,  o legista Charles Pittex segura as cabeças mumificadas de Lampião e Maria Bonita, um ano após suas mortes. Crédito: Faculdade de Medicina da Bahia

Siga o Jacobina 24 Horas no instagram: @blogjacobina24horas 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *